TEMA: Deus é misericordioso e gratuito.

 

PERSONAGENS: Jonas e Javé.

 

TEXTO: Jn 4,1-11

 

PALAVRAS-CHAVE: piedade, ternura, amor, morte, mamoneira, alegrou-se, desfalecia, ter pena

 

PERSPECTIVA: Desenvolver uma atitude de compaixão e misericórdia em relação às pessoas de nossa convivência, especialmente de nossa comunidade, para que juntos possamos testemunhar a presença misericordiosa de Deus me nosso meio.

 

“Eu sabia que tu és um Deus de piedade e ternura, lento para a ira, e rico em amor e que se arrepende do mal” (Jn 4,2b).

 

ATENÇÃO Ao preparar o encontro, o grupo ou a comunidade, conforme a sua realidade e sua criatividade, pode mudar os cantos, as perguntas e a forma de celebrar a vida.

 

  1. Preparar o ambiente

- Colocar no centro uma Bíblia, vela e flores

- Preparar um local para as velas que serão acesas.

- Escrever numa cartolina o tema do encontro. Como é a última reunião de estudo e oração do livro de Jonas, colocar também os cartazes com os outros temas já estudados

  1. Acolhida

Dirigente: Com o desejo de que a graça e a paz de Deus, que é misericórdia e ternura, estejam presentes em nossos corações, iniciemos nosso encontro.

Todas/os: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Dirigente: Alguém gostaria de partilhar sua experiência sobre o dar e o receber o perdão, conforme o gesto concreto proposto no encontro anterior?

O momento da partilha poderá ser intercalado com o refrão de um canto. Sugestão: Boa-nova em nossa vida, Jesus semeou, o Evangelho em nosso peito é chama de amor!

Dirigente: Vamos ler o tema do nosso encontro de hoje e observar o desenho:

Todas/os: Deus é misericordioso e gratuito.

Dirigente: No silêncio do nosso coração, pensemos: Como Deus se manifesta em nossa vida e em nossa história?

  1. Motivando a conversa

Leitora ou leitor 1: O terremoto que aconteceu no Haiti, no dia 12 de janeiro de 2010, matou mais de 200 mil pessoas e deixou, aproximadamente, 400 mil pessoas desabrigadas. As notícias que chegaram até nós apresentaram um cenário de completa destruição: corpos amontoados pelas ruas, violência, saques. Um caos. Diante dessa situação, o Cônsul geral do Haiti, em São Paulo, George Antoine, afirmou: “Acho que, de tanto mexer com macumba, não sei o que é aquilo. O africano em si tem maldição. Todo lugar que tem africano está f...”[1]

Leitora ou leitor 2: Há muitas pessoas que acreditam que as catástrofes são castigos de Deus. Será que Deus castiga? Nos primeiros dias do ano de 2010, muitas pessoas morreram em conseqüência das enchentes e dos desabamentos provocados pelo excesso de chuvas. Algumas pessoas disseram: “as chuvas nos castigaram este ano”. As chuvas não castigam ninguém, e muito menos Deus.

Dirigente: O que sentimos diante da afirmação do Cônsul do Haiti? Qual é a nossa reação diante dos nossos sofrimentos e dos sofrimentos das pessoas que estão ao nosso redor?

  1. Situando o texto

Leitora ou leitor 3: No exílio, surge a noção de que o povo de Israel era o povo eleito. Esta concepção foi importante para garantir a coesão e a identidade do povo. No entanto, a idéia de povo eleito incluiu a noção se superioridade e privilégios. No pós-exílio, essa idéia levou o povo de Israel ao exclusivismo e À separação de grupos divergentes e estrangeiros. Riqueza, descendência e vida longa eram consideradas bênçãos de Deus para a pessoa que observava a Lei de Deus, adorando somente ao Deus de Israel. As leis da pureza determinavam quem estava mais próximo de Deus e quem estava mais distante. As pessoas que estavam ligadas ao templo acreditavam que a misericórdia e Javé era apenas para o povo de Israel. A teologia de Jonas está na contramão da teologia oficial, mostrando que a gratuidade do amor de Deus é para todos os povos.

  1. Leitura do texto

Dirigente: Na alegria do amor e da gratuidade de Deus, vamos abrir nosso coração á sua Palavra, cantando: Tua palavra é luz do meu caminho, luz do meu caminho, meu Deus, tua Palavra é!

Ler o texto de Jn 4,1-11 em jogral: narrador, Jonas e Deus.

Dirigente: Para conversar

a) Por que Jonas fica com raiva de Deus?

b) Por que Jonas não aceita a imagem de “Deus de piedade e de ternura, lento para a ira, e rico em amor e que se arrepende do mal”?

c) Qual é o jeito de Deus agir que aparece no texto?

  1. Iluminando a vida

Leitora ou leitor 4: Apesar da incompreensão e da teimosia de Jonas, Deus não o abandona. Ao contrário, ele vai ao seu encontro e insiste no projeto da misericórdia e da solidariedade.

a) Javé não desiste de seu projeto de solidariedade e misericórdia. Ele intervém de maneira favorável aos estrangeiros, o que Jonas não consegue aceitar. Em nossa prática comunitária, como nos relacionamos com as pessoas que vivem e pensam de maneira diferente de nós? Qual a abertura que existe em nós para o diálogo com as pessoas que são de outras religiões?

b) O livro de Jonas termina com uma pergunta para os leitores e leitoras de todos os tempos: “Tu tens pena da mamoneira, que não te custou trabalho... E eu não terei pena de Nínive”? (Jn 4,10-11). Qual é a nossa resposta? Qual é a nossa “mamoneira”?

  1. Celebrando a vida

Dirigente: Hoje encerramos o nosso tempo de estudo e oração a partir do livro de Jonas. Com Jonas, aprendemos que não é possível fugir da própria missão, pois Javé é um Deus insistente, que não desiste do seu projeto, nem de nós. Aprendemos também que um dos desafios de nossa missão é acolher as pessoas marginalizadas, que, muitas vezes, se sentem estrangeiras em sua própria terra. Outra lição importante é que Deus está em todas as realidades, e a verdadeira religião se mede pela prática da justiça e da solidariedade, não pela crença em um conjunto de leis. E, acima de tudo, aprendemos que o amor de Deus não está restrito a um grupo de eleitos e puros, mas inclui todas as pessoas.

Neste momento, podemos pegar as nossas veles. Uma pessoa por vez irá acender a sua e, ao fazer este gesto, dirá, em voz alta, qual a luz que estes encontros acenderam em sua vida e qual a luz que você quer manter acesa. Preparar um local para colocar as velas acesas.

Encerrar esse momento com um refrão apropriado. Sugestão: Sim, que quero que a luz de Deus, que um dia em mim brilhou, jamais se esconda e não se apague e mim o seu fulgor. Sem, eu quero, que o meu amor ajude o meu irmão a caminhar guiado por tua mão, em tua lei, em tua luz, Senhor.

Dirigente: De mãos dadas, reafirmemos a nossa fé e nosso compromisso na construção do projeto de Deus.

Todas/os: Pai-nosso.

  1. Gesto concreto

Em circulo, colocar a mão direita no ombro da pessoa que está à nossa direita e estender a mão esquerda para que a benção chegue às pessoas que estão mais distantes, mas que fazem parte de nossa vida. Invoquemos a benção de Deus sobre todos nós. Que Deus, que é piedade e ternura, derrame sobre nós as suas benções.

 

 

Para aprofundar o tema deste encontro, leia as páginas 109-122 do livro Levanta-te e vai à grande cidade. Entendendo o livro de Jonas. Editado pela Paulus em 2010. O material deste encontro e também o livro indicado foram preparados pela equipe do Centro Biblico Verbo.

© 2013 by CBVerbo | Desenvolvimento e Arte Luis Viper & Renato Azevedo