TEMA: Jonas rejeita a sua missão

 

PERSONAGENS: Javé e Jonas

 

TEXTO: Jn 1,1-3.

 

PALAVRAS-CHAVE: Levanta-te, anunciar; fugir, face de Deus.

 

PERSPECTIVA: Refletir sobre os desafios que enfrentamos em nossa missão pessoal e comunitária, acolhendo especialmente as pessoas que são marginalizadas e tratadas como estrangeiras em sua própria pátria.

 

“Jonas levantou-se para fugir para Társis, para longe da face de javé” (1,3)

 

ATENÇÃO Ao preparar o encontro, o grupo ou a comunidade, conforme a sua realidade e sua criatividade, pode mudar os cantos, as perguntas e a forma de celebrar a vida.

 

  1. Preparar o ambiente

- Colocar no centro uma Bíblia, vela, flores e símbolos que representam as diversas pastorais que existem em nossa comunidad

- Escrever numa cartolina o tema do encontro

 

  1. Acolhida

Dirigente: É com alegria que realizaremos o estudo bíblico. Vamos refletir e rezar a partir do livro de Jonas. Para que a Palavra de Deus encontre espaço de vida em nossos corações, cada pessoa poderá se apresentar: dizer o nome e algo que gostaria que todo o grupo soubesse. Dar espaço de tempo para as pessoas se apresentarem.

Dirigente: Como família, sentindo-nos em casa, vamos nos acolher mutuamente com um abraço, desejando que estes encontros nos ajudem a crescer na compreensão e vivência da Palavra.

Dirigente: Que a presença da Trindade nos guie nesta caminhada.

Todas/os: Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

 

Dirigente: Com o salmista, queremos rezar celebrando a presença de Deus em nossa vida!

 

  1. Tu me conheces quando estou sentado, tu me conheces quanto estou de pé, vês claramente quando estou andando, quando repouso, tu também me vês. Se pelas coisas sinto que me abranges, também de frente sei que me percebes, para ficar longe do teu Espírito, o que farei? Aonde irei? Não sei

Para onde irei? Para onde fugirei? Se subo ao céu ou se me prostro no abismo, eu te encontro lá. Para onde irei? Para onde fugirei? Se estás no alto da montanha verdejante ou nos confins do mar.

 

Dirigente: Vamos ler o tema do nosso encontro em voz alta e, em seguida, fazer alguns instantes de silêncio. Observar o desenho do encontro de hoje: o que este tema diz para a nossa vida?

  1. Motivando a conversa

Dirigente: Todos nós já vivenciamos momentos de desafios e dificuldades em nossa vida. Às vezes quando somos convidadas e convidados para um trabalho na comunidade, pensamos: há outras pessoas mais preparadas e com mais condições do que eu. O impulso inicial é fugir e não assumir. A nossa experiência não é diferente dos líderes do povo de Deus. Ao longo da nossa história, muitas mulheres e homens viveram experiências semelhantes.

Leitora ou leitor 1: Eis o relato que a Bíblia registra do envio de Moisés: “Javé disse a Moisés: ‘Eu sou Javé; dize ao Faraó, rei do Egito, tudo o que eu te digo’. Respondeu Moisés na presença de Javé: ‘eu não sei falar com facilidade; como , pois, me ouvirá o Faraó?’” (Ex 6,29-30).

Leitora ou leitor 2: No relato sobre Jeremias, lemos: “Antes mesmo de te moldar no ventre materno, eu te conheci; antes que saísse do seio, eu te consagrei. Eu te constituí profeta para as nações. Mas eu dizia: ‘Ah! Senhor Javé, eis que eu não sei falar, porque sou ainda criança!’” (Jr 1,5-6).

 

Dirigente: E nós? Como reagimos diante dos convites para realizar os diversos serviços na comunidade, no sindicato, nos movimentos e organizações sociais?

 

Dirigente: Após a partilha, cantar o refrão indicado, ou outro, conforme a escolha da comunidade:

Ref.: Tenho que gritas, tenho que arriscar, ai de mim se não o faço! Como escapar de ti, como calar, se tua voz arde em meu peito? Tenho que andar, tenho que lutar, ai de mim se não faço! Como escapar de ti, como calar, se tua voz arde em meu peito?

 

  1. Situando o texto

Leitora ou leitor 3: Em 587 a.C., a cidade de Jerusalém e o templo foram destruídos, e uma parte da população foi levada para a Babilônia. Este período é conhecido como exílio. Em 538 a.C., os persas dominaram a Babilônia e o povo pode voltar para Jerusalém. No exílio, para garantir a identidade do povo judeu, nasceu a idéia de povo eleito. No pós-exílio, especialmente no tempo de Neemias e Esdras, consolidou-se a compreensão de que o povo de Israel era o único povo santo, escolhido e privilegiado por Deus. Essa visão nacionalista excluía os estrangeiros e os pobres que haviam ficado na terra (Ne 5,1-5). Nesse contexto, lemos no livro de Jonas que Javé o envia para pregar em Nínive, a capital dos assírios. Jonas foge em direção contrária. Ele desce para Jope, de onde embarca para Társis, considerado o lugar mais distante de Israel. De acordo com a mentalidade da época, o único ugar da morada de Javé era Jerusalém. O porto de Jope era o mais próximo dos habitantes de Jerusalém e seus arredores. Sem dizer uma palavra, Jonas rejeita a sua missão.

 

  1. Leitura do texto

Dirigente: Com a mente e o coração abertos, acolhamos a Palavra de Deus em nossa vida, cantando:

 

Eu vim para escutar tua palavra, tua palavra, tua palavra de amor.

Eu quero entender melhor, tua palavra, tua palavra, tua palavra de amor.

 

Leitora ou leitor 4: Ler Jonas 1,1-3.

Dirigente: Para conversar

a) Porque Jonas foi enviado a Nínive, símbolo do império mais violento e opressor?

b) Porque Jonas quer fugir para longe da face de Javé?

c) É possível fugir da presença de Javé?

 

  1. Iluminado a vida

Leitora ou leitor 5: O envio de Jonas apresenta dois elementos surpreendentes. O primeiro é o fato de Jonas ser o primeiro profeta de Javé enviado a uma cidade estrangeira, a capital de um dos inimigos do povo de Israel. Ele é chamado a pregar para o inimigo no seu próprio terreno! O segundo é o fato de Jonas fugir: em vez de ir para o leste (Nínive), ele vai para o oeste (Társis). Pensando bem, não era nada fácil para Jonas assumir a sua missão e abrir mão de seus preconceitos.

a) Quais os preconceitos que nos impedem de ir ao encontro do outro e da outra?

b) Quando eu aceitei o chamado de Deus? O que me deu coragem para aceitá-lo?

c) Em quais momentos da minha vida eu resisti em aceitar os apelos de Deus e quais os sentimentos que eu experimentei?

 

  1. Celebrando a vida

Dirigente: Depois de refletir e rezar a experiência de Jonas que procura fugir da presença de Deus e de sua missão, vamos olhar nos símbolos das pastorais ou movimentos que existem em nossa comunidade e expressar quais os desafios em nosso meio, na vivência diária de nossa missão. Intercalar as preces com o refrão indicado, ou conforme a escolha da comunidade.

Refrão: Dá-nos um coração grande para amar!

Dá-nos um coração forte pra lutar!

Dirigente: Vamos fechar nossos olhos e agradecer a Deus pela nossa vocação cristã. Como cristãs e cristãos, assumimos o compromisso de ajudar na construção do Reino de Deus. Somos pobres e pequenos, mas contamos com a presença do seu Espírito entre nós. Reservar alguns instantes de silêncio e, em seguida, rezar o Pai-nosso. – Se o grupo quiser, poderá acrescentar outras orações.

 

  1. Preparar o próximo encontro

Dirigente: Para a próxima reunião, ler Jn 1,4-16. Quem puder leia as orientações em preparação ao segundo encontro. Se tiver alguma dificuldade em ler, pedir ajuda a uma pessoa amiga ou vizinha.

- Trazer a Bíblia

- Escolher alguém do grupo que possa preparar o cartaz ou a faixa com o tema do dia

- Marcar a data e o local do próximo encontro.

 

  1. Gesto concreto

Ver se há alguma pessoa de nossa comunidade, de nosso bairro ou do nosso ambiente de trabalho contra quem alimentamos algum tipo de preconceito ou que tratamos com hostilidade e procurar nos aproximar, criando espaço para a convivência fraterna: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Lv. 19,18).

  1.  Benção final

Dirigente: Que Deus nos dê a benção de amar as pessoas que estão ao nosso redor, de ir ao encontro daquelas que estão afastadas no nosso convívio e de não excluir ninguém do nosso meio. Que Deus, que é amor, derrame sobre os moradores desta casa que nos acolheram, sobre cada uma e cada um, a sua benção. Isso nós pedimos em nome da Trindade.

Todas/os: Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

 

Para aprofundar o tema deste encontro, leia as páginas 31-42 do livro Levanta-te e vai à grande cidade. Entendendo o livro de Jonas. Editado pela Paulus em 2010. O material deste encontro e também o livro indicado foram preparados pela equipe do Centro Biblico Verbo.

 

  • Facebook Grunge

© 2013 by CBVerbo | Desenvolvimento e Arte Luis Viper & Renato Azevedo